A função de síndico profissional no atual quadro econômico e administrativo requer boa escolha e certeza de qualificação do profissional que é contratado.

Hoje, existem no mercado inúmeros candidatos a síndico profissional, mas o condomínio deve precaver-se na sua contratação pois muitos são aventureiros e sequer possuem o mínimo de conhecimento que os habilitem a assumir tal cargo. Como os condôminos (moradores de um condomínio) tem suas funções e tempo já destinados (família, lazer, trabalho) e, levando em consideração a vida tumultuada que todos levam, torna-se cada vez mais difícil um condômino assumir o cargo de síndico. Vários são os fatores levam o condomínio não conseguir dentro da sua coletividade condominial, alguém que queira assumir a função de síndico. O mais preocupante e até grave, se assim podemos dizer, é o convívio que se torna difícil com seus vizinhos a partir do momento em que este ou aquele assume a função de síndico.

Poucos sabem diferenciar ou separar a pessoa do vizinho com a pessoa do síndico. O primeiro é morador, com direitos e deveres iguais a todos. O segundo tem um fardo a carregar, fazendo com que seus vizinhos sejam por ele policiados no sentido do cumprimento das previsões legais e convencionais.

Imparcialidade é nesse norte uma vantagem, como não há vínculo pessoal com os moradores e empregados, o síndico profissional irá atender com a mesma cortesia e atenção todos os condôminos, sem fazer distinções, favorecimento ou “vista grossa”. Isso garante o cumprimento das normas previstas no regimento interno sem gerar desgastes, constrangimentos ou mal estar no ambiente condominial.

A tarefa do síndico é a mesma de um gestor de negócios. Cabe a ele conduzir o condomínio para mantê-lo sempre da melhor maneira possível, seja financeira ou administrativamente.

Nesse sentido, a otimização dos recursos surge como grande diferencial, já que o síndico profissional trabalha visando eficiência na gestão do condomínio, buscando redução de custos e melhor aproveitamento do orçamento, aumentando o controle do fluxo de caixa e planejamento de obras. Com relação aos funcionários, por exemplo, esperamos um aumento de qualidade no recrutamento, seleção, gestão e treinamento de pessoal, melhorando a qualidade geral dos serviços.

Há um grande equívoco em pensar que o condômino, pelo fato de ser aposentado ou não ter ocupação é a pessoa ideal para assumir o cargo de síndico, pois teria tempo para fazê-lo. Cuidado, isto pode custar caro futuramente. Sabemos também que muitos dedicam-se inteiramente, não são reconhecidos e fazem um excelente trabalho.

O condomínio deve ter cuidado na contratação desse profissional. Devem solicitar um currículo para ver qual a sua formação e experiência. Seu temperamento é muito importante.

Solução de litígios entre condôminos, impessoalidade, conhecimento de causa, preparo psicológico, temperamento adequado, formação, dedicação são fatores a serem levados em conta na contratação deste profissional que, se bem contratado evitará futuros prejuízos ao condomínio.

O síndico profissional para ser um verdadeiro profissional deve ter os seguintes conhecimentos: conhecimento jurídico (nas áreas da legislação tributária, trabalhista), conhecimento administrativo, contábil e financeiro. Deve saber negociar. Deve saber contratar. Deve conhecer cálculos trabalhistas. Deve ter conhecimento em folha de pagamento, cálculo de horas extras, questões de fundo de garantia, INSS, dentre outros. Num primeiro momento parece impossível conseguir um profissional a essa altura, mas acreditem. Eles existem. São raros, mas existem e torna-se vantajoso remunerá-los bem pelas dores de cabeça que evitam.

Assim, o Síndico Profissional se torna um gestor/fiscal, mantendo o condomínio em conformidade com o Código Civil, a Convenção, o Regulamento interno e as deliberações feitas em assembleias. São profissionais treinados e atualizados acerca das normas técnicas, legislação (inclusive trabalhista), a serem observadas nas esferea civil e criminal.

O porque de todos estes conhecimentos. Por um simples fator. Como pode um síndico cobrar ou exigir de sua administradora ou da empresa que lhe auxilia (que também deve ser investigada antes da contratação) o cumprimento da legislação vigente. Não podemos esquecer que existem também imobiliárias aventureiras.

Há uns anos atrás, dos condomínios pouco era exigido pelos órgãos públicos. Mas as mudanças ocorreram e os condomínios são alvo de várias legislações esparsas que implicam em recolhimento de impostos sob pena de serem condenados subsidiariamente e até mesmo solidariamente ao pagamento dos mesmos se estes não forem corretamente recolhidos.

Outra grande vantagem da contratação do síndico profissional é a não geração de vínculo trabalhista. Como trata-se de um cargo representativo, não gera direitos nem vínculo trabalhista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *